OS TIPOS DE VACINA CONTRA A COVID-19

Existem mais de 100 vacinas sendo desenvolvidas contra o coronavírus (SARS-CoV-2). Equipes de cientistas em instituições de pesquisa e universidades de todo o mundo estão testando diferentes tecnologias, algumas das quais nunca foram utilizadas antes para a produção de uma vacina. Todas as vacinas visam expor o corpo a um antígeno1 que não causa doença, mas provoca uma resposta imune2 que pode bloquear ou matar o vírus se uma pessoa for infectada. 

As vacinas podem conter o coronavírus inteiro, fragmentos, apenas o seu material genético ou ainda partes de sua estrutura em outro vírus geneticamente modificado. A seguir cada uma delas é descrita:

(1) – VACINA DE VÍRUS. Elas utilizam o coronavírus inteiro e podem ser classificadas como atenuadas ou inativadas. Nas atenuadas o vírus permanece “vivo”, porém mutações em seu material genético fazem com que ele perca a capacidade de produzir a doença. Nas inativadas, o vírus é “morto” por meio do calor ou substâncias químicas.

VACINA DE VÍRUS. A mudança de alguns genes do coronavírus pode torná-lo não patogênico (atenuado) ou ele pode ser morto (inativado) por ação de calor ou substâncias químicas, como formaldeído.

(2) – VACINA DE FRAGMENTOS. Outra possibilidade é a vacina usar pedaços do vírus. Nesse caso, as proteínas do coronavírus podem ser injetadas diretamente no corpo. Essas vacinas focam na proteína SPIKE, região do vírus que se liga à célula infectada. Ainda podem ser usados outros fragmentos ou invólucros de proteínas que imitam a camada externa do coronavírus.

VACINA DE FRAGMENTOS. As proteínas spike podem ser usadas para produzir a resposta imune.

(3) – VACINAS GENÉTICAS. Consistem na inoculação de trechos do material genético, na forma de DNA ou RNA, no organismo. O DNA ou RNA têm as instruções genéticas e, neste caso, as células humanas são induzidas a produzir uma proteína do vírus que, por sua vez, irá provocar a resposta imune. Porém, tal tecnologia é nova e nunca foi usada em vacinas licenciadas, ainda não possuindo eficácia comprovada.

VACINA GENÉTICA. Um pedaço de DNA ou RNA irá estimular as células humanas a produzirem as proteínas do vírus.

(4) – VACINAS COM VÍRUS VETOR. Essas vacinas utilizam outro vírus (e.g. adenovírus), que é geneticamente modificado para produzir as proteínas do coronavírus. Assim, ele apresenta um fragmento de seu material genético que expressa as proteínas SPIKE do coronavírus. Portanto, tal vírus funciona como um vetor dessas proteínas SPIKE do coronavírus, que irão causar a resposta imune.

VETOR VIRAL. A mudança nos genes de outro vírus faz com que ele produza as proteínas SPIKE do coronavírus.

Muitas dessas vacinas já apresentam resultados positivos e são muito promissoras. Porém, utilização de uma vacina só é feita após uma série de testes, veja https://www.facebook.com/entendamaisciencia/posts/280452053336518

REFERÊNCIA:

The race for coronavirus vaccines: a graphical guide. Nature, April 2020. https://www.nature.com/articles/d41586-020-01221-y

  1. partícula ou molécula que quando introduzida no organismo provoca a produção de um anticorpo específico.
  2. processo de defesa do organismo contra contra substâncias ou agentes infecciosos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: