COMO SE FORMAM OS RAIOS? OS RELÂMPAGOS E A DISTÂNCIA DE UM RAIO

A cada ano são registrados mais de um bilhão de raios em nosso planeta. Como se forma esse intrigante fenômeno elétrico que causa tanta admiração e/ou medo nos seres humanos?

(1) ELETRIFICAÇÃO DA NUVEM – O atrito entre dois corpos faz com que haja a transferência de elétrons entre eles, fazendo com que um fique positivo e o outro negativo. A nuvem é formada por partículas de gelo de diferentes tamanhos que se movimentam e se atritam no interior da nuvem. As partículas maiores (granizo) adquirem carga negativa e vão se concentrando na porção de baixo da nuvem. Assim, a porção inferior da nuvem fica com excesso de cargas negativas e a porção superior com excesso de cargas positivas.

(2) RAIOS – Uma vez que a nuvem está eletrificada, descargas elétricas podem ocorrer no seu interior, entre outra nuvem ou entre ela e o solo. No caso nuvem-solo a descarga negativa se dirige para baixo e uma descarga positiva se propaga para cima. Porém, a nuvem também pode emitir uma descarga positiva.

(3) RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO – O raio é a descarga elétrica, o relâmpago é o fenômeno visual e o trovão é o som provocado pelo aquecimento brusco e rápida expansão do ar.

(4) DISTÂNCIA DO RAIO – A velocidade da luz é 300.000 Km/s, portanto o relâmpago que chega aos nosso olhos é praticamente instantâneo. Já a velocidade do som é 340 m/s. Assim, ao visualizar um relâmpago, basta contar a quantidade de segundos que demora até ouvir o trovão. Então multiplique esse valor por 340 e o resultado será a distância em metros. Digamos que você tenha contado 3 segundos, então a distância será 3 X 340 = 1.020 metros. 

(5) INCIDÊNCIA DE RAIOS NO MUNDO – Quase 1,4 bilhão de raios são registrados anualmente no mundo. Só no Brasil são 78 milhões de raios! Porém, o local com maior número de registros por Km2 (cerca de 230 raios) fica na foz do Rio Catatumbo, que deságua no lago de Maracaibo, oeste da Venezuela. Outra área com alta incidência de raios fica no coração da África, na região do Congo (veja a área escura no mapa). A incidência por lá varia de 140 a 200 raios por Km2 em cada ano. No Brasil, temos menos de 20 raios por Km2, nos locais com maior incidência.

REFERÊNCIAS:

https://journals.ametsoc.org/bams/article/97/11/2051/69639/Where-Are-the-Lightning-Hotspots-on-Earth

https://www.livescience.com/54666-most-lightning-prone-place-in-the-world.html

11711750 compartilhamentosCurtirComentarCompartilhar

Comentários

Comentar como Entenda mais ciência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: